Aulas remotas de legislação são preferência dos alunos na retirada CNH

De acordo com o presidente do Sindicato das Autoescolas do Ceará (Sindcfc’s), a aceitação dos alunos pelas aulas remotas é de quase 100%. O conteúdo programático, a carga horária e a duração das aulas teóricas obedecem os mesmos critérios estabelecidos para as aulas presenciais.

A pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19) mudou algumas rotinas e processos para a retirada da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no Ceará e no Brasil. Além do uso obrigatório de máscara, higienização constante dos veículos das autoescolas e distribuição de álcool em gel, uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) autorizou a implementação das aulas de legislação do curso de formação de condutores na modalidade de ensino remoto, dando ao futuro condutor uma alternativa cômoda para realizar as aulas teóricas.

O conteúdo programático, a carga horária e a duração das aulas teóricas obedecem aos mesmos critérios estabelecidos para as aulas presenciais. De acordo com a resolução, a adesão às aulas teóricas remotas pelos alunos não é obrigatória, devendo o aluno demonstrar interesse à autoescola onde está matriculado. No entanto, o presidente do Sindicato das Autoescolas do Ceará (Sindcfc’s) afirma que a aceitação dos alunos é de quase 100%.

“Avaliamos as aulas remotas como uma excelente opção nesse momento que estamos vivendo. Adotamos a nova modalidade desde agosto de 2020. A mudança agradou os alunos, que não precisam mais se deslocar durante nove dias, que é o tempo do curso, para assistir a aula na autoescola. Sem contar na comodidade de poder assistir às aulas de forma segura de casa, do trabalho ou de onde ele estiver. Ele precisa apenas de internet, de um computador ou celular com câmera”, diz.

Dinamicidade

Eliardo Martins explica que as aulas remotas acontecem em tempo real, com os alunos e instrutores no mesmo ambiente online e ao mesmo tempo. “Elas são transmitidas, ao vivo, da própria sala de aula física e os alunos acompanham de onde estiverem por meio de uma plataforma que permite o monitoramento da presença de alunos e instrutores durante o período em que as aulas estejam acontecendo”.

A nova modalidade do curso desafiou os professores das autoescolas a prepararem uma aula ainda mais dinâmica com o objetivo de prender a atenção dos futuros condutores. “Os instrutores estão se esforçando, incentivando a interação, disponibilizando vídeos e até grupo de Whatsapp no intuito de integrar a turma e tirar dúvidas que os alunos tenham após a aula”.

Eliardo Martins, inclusive, ressalta que o índice de aprovação dos alunos nos exames teóricos aumentou com a nova modalidade, o que consolida o sucesso das aulas remotas. “Depois que iniciamos, percebemos esse salto, inclusive com vários alunos tirando nota dez, o que era mais raro de acontecer. Acreditamos que, quando o aluno se desloca, dependendo da distância e do transporte que ele usa, ele já chega cansado para assistir a aula e isso reflete na aprendizagem e, consequentemente, no resultado do teste”, comemora.

Continuidade

Devido à boa aceitação dos alunos, o Sindicato das Autoescolas deseja, agora, que a nova modalidade de ensino continue como opção mesmo com o fim da pandemia. “Aqui no Ceará, vamos trabalhar junto ao Detran para dar continuidade. Hoje é a realidade do mundo”, finaliza o presidente.

%d blogueiros gostam disto: